O seu cabelo natural é lindo, seja ele como for.

Como vocês sabem, eu tenho um canal sobre cabelos no youtube – e quem já deu uma passada lá sabe que eu sou super defensora da textura ondulada de cabelo (inclusive tá rolando um especial sobre o assunto nesse mês de maio). E conversando com as minhas inscritas em comentários, emails e redes sociais eu percebi que muitas delas estão numa luta enorme de aceitação dos cabelos.

aceitação cabelo cacheadoFugir do lugar esperado e simplesmente usar a textura natural do seu cabelo é um ato de coragem não só porque você está quebrando todos os padrões de beleza que exigem o cabelo perfeitamente alinhado, mas porque no começo costuma ser um processo difícil de aprender a cuidar e lidar de novo com o seu cabelo natural. Mas é extremamente libertador chegar ao ponto de acabar com todo aquele o esforço para deixar o seu cabelo da forma que a sociedade acha bonito, e passar a usa-lo da forma como você acha bonito. Deixar de gastar horas, e uma fortuna com químicas, alisantes, chapinhas, escovas, e por ai vai.

A revolução cacheada mostrou o tanto que é bom ter a liberdade de escolher como usar seu cabelo, e de não ter vergonha nenhuma de abraçar as suas raízes e a sua textura natural e a gente já avançou muuuuito em relação a isso. Mas ainda temos um caminho longo a percorrer. Por incrível que pareça ainda temos muitas mulheres que estão aprisionadas nos padrões de beleza – e muitas pessoas que me assistem vem conversar comigo exatamente sobre isso.

Por mais que a gente bata na tecla do “padrão de beleza”, muita gente esquece que não é só a exigência de ter o cabelo liso: existe a exigência de que se seu cabelo não for liso, ele tem que ter cachos perfeitos, bastante definição, volume controlado e moldado e tem que ser sem frizz. Tem pessoas que conseguem sem a menor dificuldade deixar o cabelo assim, mas tem pessoas que precisam mover céus e terra para chegar a esse ponto – eu sou uma delas.

aceitação cabelo ondulado

Meu cabelo ao natural

Eu passei por esse processo com muita dificuldade – claro que com todo o apoio das cacheadas ao meu redor que sempre entenderam que minha textura não era como a delas, mas isso não significava que eu precisava ficar presa na chapinha para sempre – e isso me fez amar a pessoa que eu sou ainda mais. Tenho orgulho de mim e da minha “juba” mesmo sem definição, cheia de frizz e com um volume que eu não consigo controlar.

Depois de passar por essa fase de aceitação eu percebi que não faz a menor diferença para quem está do meu lado seu eu passar 2 horas fazendo fitagem e secando meu cabelo para que ele fique perfeito ou se eu finalizar em 15 minutos e sair de casa com ele natural. Essa pessoa não vai estar comigo cada vez que eu me olhar no espelho e mais importante essa pessoa não vai ser menos ou mais feliz porque eu coloquei menos esforço em seguir o padrão exigido.

Eu sou defensora do “faça o que te faz feliz”. Claro que se você se acha mais bonita e mais confiante com o cabelo liso, eu super apoio que você alise seu cabelo sem medo. Mas se você é mais feliz com sua textura natural, seja ela lisa, ondulada, cacheada,  crespa, alinhada, bagunçada, com ou sem definição – não deixe que a expectativa dos outros de impeça de ser você, de ser mais feliz.

Um beijo para vocês e até o próximo post.