Brechó Desapeguei Bonito reinaugura de cara nova e com novidades

Estimular o desapego de peças paradas, em bom estado e com muito potencial, que estão ocupando espaço no armário de mulheres de todas as idades e cheias de estilo. Essa é a proposta do Desapeguei Bonito, brechó que começou com a ideia despretensiosa de fazer girar as roupas e acessórios que uma das sócias tinha, mas não usava mais.

O início foi uma página no instagram que cresceu, ganhou forma, seguidores (mais de 6,5 mil) e admiradores, e hoje é um modelo de negócio leve, criativo e, porque não dizer, sustentável, dirigido pelas sócias Ana Carolina Rosignoli, de 26 anos, e Thais Tibery de 25 anos. Depois da inauguração da primeira loja física, em maio de 2018, há apenas 5 meses, o Desapeguei Bonito cresce mais uma vez e expande para uma loja maior, com o dobro do tamanho, mais espaço para atender a clientela que não para de crescer, receber desapegos e expor as peças sempre tão variadas e cheias de personalidade.

 A nova loja fica na comercial da 309 Norte, bloco D, sala 213 e para celebrar a inauguração, que acontece no dia 9 de novembro, das 15h às 20h, terá cerveja para descontrair e um setlist pensado especialmente para a ocasião.

“Não temos dúvida que o processo de desapegar é uma revolução interna. Precisamos nos observar para entender o que se encaixa no nosso gosto, na nossa rotina e na mensagem que queremos passar ao nos vestir. A partir disso, podemos fazer a limpa! O objetivo de desapegar é tirar peças que não fazem mais sentido para nós e disponibilizar para outra pessoa comprar.  O intuito é girar o mercado da moda de uma forma diferente e valorizar o investimento que já havíamos feito naquela peça”, afirma Thais.

Um dos diferenciais no negócio é a ralação com o público, construída diariamente com ajuda das redes sociais. As postagens espontâneas do dia a dia da empresa são sempre descontraídas e divertidas, o objetivo das sócias não é apenas a venda dos produtos.


Novidades no Desapeguei

Uma das características do brechó é a diversidade de clientes, mesmo quando a curadoria (seleção das peças) era apenas feminina, o público que visitava o espaço era composto pela pluralidade.

“Quem diz se deve ou não usar algo é a própria pessoa. A diversidade é sempre muito bem-vinda ao Desapeguei e fazemos questão de estimular isso através de ações específicas”, esclarece Ana Carolina.

Pensando nesse público, a nova loja do Desapeguei terá um espaço para peças masculinas, com isso, homens que também estejam interessados em desapegar poderão participar desse ciclo. Outra novidade é a abertura de um espaço colaborativo, voltado para a exposição de peças de produtores locais, artistas e pequenos empreendedores.


Responsabilidade social

Em tempos de Fast Fashion, no qual roupas e acessórios são produzidos, consumidos e descartados com muita rapidez, mudar um pouco a ordem desse ciclo e reintroduzir esse material no mercado, de uma maneira interessante, contribui para minimizar a produção e consequentemente para um mundo sem tantos desperdícios. É isso o que o Desapeguei se propõe a fazer, mostrando que peças usadas e até novas, porém sem uso, podem ser o que outra pessoa busca e deseja.

“A vertente social do nosso trabalho acontece mensalmente, quando finalizamos nosso período de vendas com as fornecedoras e a tarefa de desapegar foi realizada com tanto sucesso que elas não querem o que não foi vendido de volta. Essas peças são encaminhadas para instituições parceiras, como a Casa Frida, local de acolhimento de mulheres em situação de risco e a The Street Store, ONG que ajuda pessoas em situação de risco”, explica as sócias.


Nova loja Desapeguei Bonito

Inauguração: 9 de novembro | Horário: de 15h às 20h

Local: CLN 309, BL D, Sala 213 (segundo andar) – Asa Norte – Brasília

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 09h às 18h, e sábado, das 10h às 16h

Instagram e Facebook: @desapegueibonito