Cabelo colorido x Sociedade

Eu estou completando 1 ano de cabelo colorido no próximo mês. Um ano entre vermelho, rosa, roxo, lilás, galaxy e o mais atual – azul e roxo. Eu sou muito feliz com essas cores, mas infelizmente o reflexo delas nas pessoas não é algo que me deixe tão feliz assim.

cabelo colorido e sociedade 1

Azul com Roxo – A cor mais atual

Infelizmente a sociedade brasileira não é tão evoluída assim para aceitar que a cor que eu escolho para o meu cabelo não influência na minha personalidade, na minha competência, no meu trabalho, na minha idoneidade e nem na minha responsabilidade. Mas a gente não pode esperar muita coisa da sociedade que não aceita que duas pessoas do mesmo sexo se amem e possam ser uma família feliz e que fica escandalizada que uma mulher seja feliz com a decisão de não ter filhos.

O cabelo colorido é só mais uma coisa na interminável lista de inaceitáveis. E esse preconceito é absurdamente besta – cabelo cresce, cabelo se corta, cabelo é algo que é extremamente fácil de mudar. O que é triste é pensar que você tenha que mudar o seu cabelo para deixar outras pessoas felizes – e isso vale para coloridas, cacheadas, crespas, alisadas, onduladas, lisas, naturais, grisalhas e todo tipo de cabelo. E por pior que pareça, esse preconceito não vem só das pessoas desconhecidas na rua: Ele muitas vezes vem de dentro de casa, da sua família, dos seus amigos, de pessoas que você nunca imaginou.

Cabelos prontos!!

Meu Galaxy

O meu cabelo é muito mais que só uma moldura para o rosto: é o meu maior meio de expressão. É o meio que eu me libertei dos padrões de beleza que eu lutei tanto para me encaixar por anos, foi o inicio da maior relação de amor e aceitação que eu tive comigo, foi o pontapé da minha evolução como ser humano, é o que reflete minha alegria (quando eu tomo todo o tempo pra deixar ele lindo), a minha tristeza (quando eu nem me importo em olhar pra ele), a minha presa (quando eu faço um coque e saio correndo) e por ai vai.

E quando uma mãe repreende uma menina que esta olhando admirada para o seu cabelo porque ela ‘tem que ser uma moça séria, não vai ficar fazendo essas coisas no cabelo não’, ou quando alguém pergunta como uma menina de cabelo azul ‘teve interesse suficiente para se Pós-Graduar em Marketing’, quando a pessoa exige mais comprovação de confiabilidade de você do que da sua amiga que tem cabelo castanho, quando alguém te demite porque você pintou seu cabelo de qualquer cor que seja, quando exigem comprovação que seu portfólio de design é seu mesmo e se você ‘tem certeza que você não teve ajuda de alguém mais sério pra montar esse portfólio?’ ou quando um parente pergunta ‘porque você estragou seu cabelo que era tão lindo’ – vou te contar que irrita um bocado.

cabelo colorido e sociedade 2

O rosa – cor que passei mais tempo no cabelo

Felizmente eu não passei por todas essas situações que eu mostrei (bom, quase todas, mas não 100%), mas tudo o que escrevi já me foi relatado por outras coloridas e coloridos. E toda vez me deixa chocada como as pessoas não conseguem aceitar que meu cabelo não me faz mais ou menos competente ou confiável ou séria. Tudo o que estava aqui dentro quando eu tinha cabelo castanho, ou cabelo ruivo, ou mechas loiras, ainda está aqui logo debaixo dessas madeixas (hoje) azuis.

cabelo colorido e sociedade 3

O lilás, que durou pouco mas foi muito amor

Seu cabelo é sua expressão, não deixe que as pessoas duvidem de você ou da sua capacidade baseadas simplesmente nele. Mostre que você é capaz, determinada, inteligente, focada – tudo isso sem deixar de ser um unicórnio fabuloso. E se você é uma das pessoas que julga outras por causa dos seu cabelos, seja mais gentil. Essa pessoa colorida pode ser um ótimo talento e uma ótima pessoa para se conhecer se você der uma chance.

Um beijo colorido para vocês e até o próximo post!