Ser (ou não ser) mãe?


Feliz dia das mães, seja você mãe de humano, mãe de cachorro, de planta.

Pra quem pensava que a vida se resumiria a sombra e água fresca, o lembrete que as coisas nem sempre acontece como planejamos surge com o nascimento do serzinho que você vai amar mais que o resto do mundo, mas que como ninguém, saberá te torturar e tirar o pior de você. É uma relação de altos e baixos, culpas, frustrações, noites mal dormidas, mas de muito muito amor.
Eu sempre fui mãe de cachorros, me tornei mãe de Maren em 2015 de forma inesperada. Tudo o que eu conhecia como vida mudou, muitas coisas novas, uma mudança que veio moldando um novo eu, e que me molda diariamente, a cada instante.

A vida como ela é….

O dia das mães é pra você que só toma banho quando o bebê dorme, que trata melhor a baba do que a sua mãe, que depende da boa vontade alheia pra ter uma vida social, que não sabe mais como é ficar sozinha no seu quarto mexendo no computador ou se perdendo em horas de séries seguidas no Netflix. Nada como uma noite sozinha em casa, filho com a avó… e você deitada pensando em como aproveitar mais do que curtindo uma TV – quem liga que é sexta-feira?!
unnamed-2

Tempo Amigo

Como eu passei a valorizar o meu tempo sozinha ao mesmo tempo que agradeço pela maren ter nascido no momento em que nasceu. Mudou minha vida, meus objetivos, meu ego se partiu em dois – ouve um duelo interior, no final não sei quando me encontrei ou se alguém dia me encontrarei, acho que assim como todas as mães, a gente vai dançando conforme a música, fazendo coisas que nunca imaginamos fazer, mas que são recompensadas quando olhamos esses pequenos seres e vemos o que conseguimos adicionar de valor para eles.

Expectativa vs Realidade

Então se você tem problemas com o pai que não paga pensão, com as birras da sua linda garotinha ou garotinho, se você não aguenta mais os comentários arrogantes de mães que parecem ter a vida perfeita, se você não dá mais conta de lidar com as conversas que começam com “mãezinha” ou se você simplesmente às vezes tem vontade de sair correndo e deixar qualquer pessoa (de confiança kkk) olhando seu filho para fazer qualquer coisa, ou se você manda seu filho para a casa dos avós apenas para ver um pouco de televisão tranquilamente no seu quarto, escute bem o que eu tenho a dizer: você não está sozinha.

Call your squad

Eu (e mais um monte de mulheres) passamos por isso todos os dias, algumas com marido que dão uma força, outras com a ajuda da babá, da mãe ou do pai, da vizinha gente boa, da avó ou de alguém, no final sempre tem alguém que ajuda.
No fim das contas a gente sobrevive. De algum jeito as coisas vão se encaixando, novas formas vão se formando,  a vida vai acontecendo.

Dia das Mães

Eu acho que o dia das mães é o dia de comemorar as vidas que acontecem todos os dias na casa de tantas mulheres. A vida acontece com suas peculiaridades onde quer que pessoas estejam vivendo.

 unnamed-3Não tem fórmula mágica pra lidar com a maternidade:

Tome vinho com as amigas, chore, desenvolva sua habilidade de ignorar o choro: meditação, aprenda a aproveitar seu tempo sem filhos quando tiver a oportunidade, sem culpa. Saia quando puder mas fique em casa quando tiver vontade. Fume um cigarro, tome uma cerveja, uma água, um vinho, faça o que for preciso para manter sua sanidade. Não é sempre que você fica louca, mas momentos surreais irão ser comuns na sua vida.

E o que fazer no dia das mães?

Seja feliz! Aproveite seu dia com o seu filho, ou sem, caso esteja por alguma razão sem ele (ou eles). Aliás, um dia relaxante em um spa seria a maneira perfeita de aproveitar o dia das mães. Relaxando sozinha sem intervenção externa. Ou cercada de pessoas queridas, cada uma celebra como quer ou pode.
E que venha mais um ano de maternidade diária e um dia em um ano inteiro onde as pessoas meio que reconhecem que não é fácil pra ninguém. A gente comemora mesmo!
Afinal, apesar das milhões de coisas ruins, eu faria tudo de novo e de novo!
PS: Cada um faz o que pode – e pra você mãe, que julga as crianças alheias, fica a dica: não perca seu tempo falando do filho das outras, olhe para os seus. Do meu eu cuido.