Estilo Grunge: Nas Passarelas

Olá meninas, tudo bem?

Como essa semana estamos falando do Estilo Grunge, vou comentar um pouco sobre o que rolou nas passarelas neste ano – já adianto que gerou polêmica! Que tal conferir?

O ano de 2013 iniciou com tendências interessantes para o Outono-Inverno e Alexander McQueen foi um dos estilistas que apostou no Grunge, trazendo novidades para a sua marca, a McQ. Se baseou em um estilo tanto para street quanto em peças de alfaiataria chique, que apareceram com estampas de besouro, couro, jeans e bastante xadrez.

Outra marca que se entregou ao xadrez foi a Dries van Noten, com um mix de estampas e texturas, vestidos longos e superfluidos, calças bordadas e camisarias abusando das transparências. A sobreposição foi bastante usada para que deixasse o look mais pesado para o inverno.

Já no desfile de Saint Laurent, em Paris, Heide Slimane causou alvoroço e descontentamento entre as fashionistas e jornais no mundo. Ele recebeu críticas pela descaracterização da marca e porque as peças apresentadas na passarela eram totalmente street e óbvias, podendo ser encontradas em qualquer lugar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Observando as roupas desfiladas, notei que, realmente, não havia nada inédito, somente roupas que você encontra em lojas virtuais como a Asos ou até mesmo em um brechó. Entendo um pouco o motivo dessa polêmica, uma vez que para muitos a escolha do tema e dos tecidos não têm a ver com a YSL, que é famosa por apresentar peças suntuosas e cheias de elegância. No meu ponto de vista, a coleção deixou a desejar na criatividade, pois os desfiles de moda acontecem para nos inspirar e não “ditar” exatamente o que vestir.

Como foi publicado no jornal WWD – A coleção não grita! São peças preparadas, estilo fast fashion, que custam caro. A distinção entre essas e as que encontramos nas lojas de departamento? O preço e o brasão da Saint Laurent.

Quem obteve os merecidos aplausos e destaque em seu desfile de coleção foi Marc Jacobs, da Louis Vuitton. Ele se apoiou em uma idéia do grunge quase não abordada – os seguidores do movimento queriam se esconder da sociedade! Aproveitando disso, ele foi além de roupas rasgadas e explicou sua idéia: Por que sair, se você pode ficar em casa? Para tal, vista-se impecavelmente, de forma excêntrica e luxuosa ao mesmo tempo.

A moda nos inspira – seja no estilo grunge ou no clássico, esteja com preço acessível ou que custe milhares. Nosso objetivo aqui é aguçar sua criatividade e motivá-las a buscar alternativas para andarem na moda (informadas) e seguras de si.

Eis o Grunge CHIC!

Gis Viana