Estilo Grunge

Rebeldia, oposição e protestos.​

perry-ellis-marc-jacobs-spr_0 copy
​Desde seus primeiros anos de vida, lá na década de 80 e 90, o grunge sempre possuiu as características de rebeldia, oposição e protestos. Qualquer semelhança com a atual política do nosso país é mera coincidência.

O cenário musical, em 1980, foi de grande importância para o grunge. Kurt Cobain, falecido vocalista da banda Nirvana, foi um dos primeiros a lançar o estilo tanto na música como na moda. Seus jeans surrados e camisas xadrez de flanela passaram a ser copiados pelos seguidores da banda, chamando a atenção de grandes nomes do mundo fashion.

estilo grunge

Um dos primeiros a apostar nesse estilo foi o estilista Marc Jacobs que, lá nos anos 90, formulou sua coleção baseada no grunge infame, conhecido também como uma versão romântica hippied do punk. Na época, sua empreitada inovadora acabou custando seu emprego na Perry Ellis.

Entre outros grandes nomes, também podemos encontrar a atriz inglesa Sophie Dahl caracterizando o grunge como “o estilo perfeito para a fase estranha da adolescência”, além do estilista francês Jean Paul Gaultier definindo o grunge como “jeito de nos vestirmos quando estamos sem dinheiro”.

Em 1992, com publicações sobre o grunge fashion, a Vogue foi alvo de crítica de leitores insatisfeitos com a leitura que a revista fez do estilo. Uma carta chegou a expressar que “a interpretação de moda grunge [da Vogue] estava completamente errada” e ainda dizia: “Se a ideia é se vestir “pobre”, por que as modelos usam vestidos de 400 dólares? Ninguém relacionado ao cenário de música grunge vai pagar 1,400 dólares por um suéter quando podem comprar uma camisa de flanela perfeitamente confortável por apenas 50 dólares”.

Particularmente, não vejo estilo melhor para começarmos esse novo desafio do Olho Mágico. Nossa ideia inicial é levar a vocês o melhor custo-benefício de peças que se encaixam nas atuais tendências. E o grunge é a melhor forma de mostrar que você pode se vestir bem, gastando pouco. Levando sempre em consideração, claro, a qualidade do produto.​

Até a próxima tendência!

Natália Fraccaroli