O limbo das peças esquecidas

guarda-roupa-armc3a1rio-bagunc3a7ado-organizac3a7c3a3o-delc3adrios-de-consumo

Essa semana estava pensando sobre sustentabilidade na moda e me passaram várias coisas pela cabeça. Li vários artigos muito interessantes e decidi que falaria sobre armário cápsula e nosso tipo de consumo em lojas de moda rápida. Quando eu acordei e estava escrevendo o post, eu me deparei com o seguinte questionamento: “Como eu vou explicar para as pessoas sobre a divisão de peças por temporada, se ás vezes nos sequer conhecemos nosso estilo? E decidi que então, a partir de hoje, partiremos daí. Conheceremos juntos o nosso estilo, para só então repensarmos nossa forma de consumo. Combinado?!

Que me atire a primeira pedra, o primeiro que estiver lendo esse post e não tiver no armário pelo menos 5 peças sem uso. E não é de uso esporádico, é daquelas que a gente não se apega, nem desapega, não doa e não vende (E, olha só, eu nem entro no mérito das nossas peças queridinhas e amadas que queremos ter só por ter.). Estou falando daquelas peças que nos insistimos em entulhar por pensarmos que precisaremos dela dali para frente ou numa ocasião especial. Eu sinto em ser dura, mas não, nenhum de nós voltará a usar o que eu chamo de “O limbo das peças esquecidas”.

Portanto o desafio de hoje é olhar pro seu guarda roupa e refletir, de fato e de forma sincera, o que você ou não usar. E a partir daí, decidir o destino dessas peças que podem ser tudo aquilo que outra pessoa precisa ou deseja. Portanto, desapegue. O que é inútil e ultrapassado pra nós, é novidade pra outra pessoa e somos nós os responsáveis por aumentar a vida útil de nossas peças (E fazer o bem pra outra pessoa, hein).

Estava navegando pelo Pinterest e encontrei esse infográfico super legal que vai nos ajudar nesse desafio. Ele conta com todos os fatores envolvidos na compra, no uso e na reutilização de uma peça, desde valores sentimentais, financeiros e sociais, legal né!?

infografico

 

Quem topa o desafio?