SPFW n42: Fernanda Yamamoto, Lollita, Experimento Nohda, A. Brand e Lilly Sarti


Depois de conferir tudo sobre o primeiro dia de São Paulo Fashion Week (SPFW) n42, chegou a hora de ver os looks das marcas que desfilaram no segundo dia, 25 de outubro. Muita coisa legal, colorida e divertida!


spfw-n42-capa-dia-2

SPFW n42: Segundo Dia


Fernanda Yamamoto

Este foi um dos menores desfiles até agora, mas não deixou de mostrar muita criatividade, conceito e elegância. Fernanda tem um estilo minimalista sem igual e trouxe looks bem escuros (pretos, em sua maioria), mas que não deixam de ser delicados e elegantes.

Diferente de outros estilistas, que estão apostando no “see now, buy now”, a estilista gosta do slow fashion. O objetivo dela é contar tudo que vem antes da peça estar pronta na passarela e nas lojas, e não apenas vender.

“Este é um trabalho que fala novamente das questões que considero as mais pertinentes para os dias de hoje: o tempo, o trabalho manual, as relações humanas e o que está por trás da superfície, do aparente”, informou a estilista.

Como vocês podem ver nas fotos abaixo, a modelagem é totalmente descontruída, mas lembra bastante a alfaiataria comum. Esse trabalho foi obra do modelista Fernando Jeon.

Lollita

A coleção estava bem mais descontraída do que as outras apresentadas, pois era beachwear, e usou cores bem neon, como o pink, amarelo e laranja. Os materiais escolhidos também tiveram bastante destaque e o mais usado foi o tricô.

“Minhas coleções sempre focaram em algo mais aspiracional. Não era tudo comercial. Agora é uma experiência que queremos testar. Você pode ir agora lá na loja, nesse exato minuto, que está tudo lá”, contou a diretora criativa, Lollita Hannud.

O desfile não poderia ter sido mais comercial: aconteceu no andar de cima de onde está a loja no Shopping Iguatemi e as modelos ficavam paradas depois de desfilarem, prontas para serem fotografadas o tempo todo.

Experimento Nohda

O desfile do Experimento Nohda foi bem incomum. Primeiro porque foi criado pela união dos estilistas Patrícia Bonaldi, Luiz Claudio e Lucas Magalhães (Grupo Nohda), e depois por mostrar tantos looks futuristas e fluidos, com cores fortes, quanto outros com cores super básicas. Ficou um mix incrível de ideias e estilos!

O experimento foi inspirado no ideal do “noh”, termo japonês que remete à junção de habilidade, forma e função. Assim, cada estilista pegou sua essência e reinterpretou em uma coleção conjunta. O resultado foi esse das imagens abaixo, que mostram os bordados da PatBo, a alfaiataria simplificada do Apartamento 03 e os trabalhos em tricô de Lucas Magalhães. Não é demais?! Quero mais disso nas semanas de moda brasileiras!!

A. Brand

Ao ver a coleção da A. Brand já penso logo em conforto e estilo. Sempre achei difícil ter essas duas coisas juntas, mas eles conseguiram fazer um belo trabalho. Misturaram o pijama style com mix de estampa, tricô e cores/estampas BEM chamativas.

Aquela imagem dela usando as roupas dele está super presente neste desfile e adorei o modo como a estilista Ana Claudia Dias fez isso. É uma coleção bem de meia-estação e que, na minha opinião, dá para ser usada em qualquer época.

“Já me falaram que nossas roupas têm cara de internacional e eu achei bom porque não penso num território específico. E sempre aparecem novos circuitos de clientes que adotaram bem a marca como Porto Alegre por exemplo”, conta Ana.

Além da mistura de estilos, Ana Claudia misturou tecidos tecnológicos com algodão, por exemplo, deixando as peças de alfaiataria não tão simples. Elas estão todas oversized e com estampas divertidas, como a do cão basset Whisky.

Mas é importante lembrar que ela ainda não quer entrar na onda “see now, buy now” e vai lançar sua coleção nas lojas apenas em janeiro.

Lilly Sarti

A marca acabou de completar 10 anos e para esta coleção Resort 17 já veio mais leve e madura. Todos os looks estão bem esvoaçantes e fluidos, com cores terrosas e outras bem claras e nudes.

As roupas lembram as fadas, que sempre usam vestidos e saias assimétricas transparentes. Algumas tendências como a dos babados ficaram bem evidentes e os tecidos usados foram crepes e chiffons de seda.

Logo de cara achei as peças diferentes das desfiladas anteriormente e entendi tudo depois de saber que o stylist mudou. Saiu o Luis Fiod para entrar o Mauricio Ianes, o que refletiu de forma gritante na imagem da marca, que está bem mais feminina e delicada.


O que acharam do segundo dia? Esse tá bem mais a minha cara!