Tá fazendo moda: FIBRAS.

O tá fazendo moda chegou para falar sobre algo muito legal e importante! 

cats

Já reparou como é só chegar o inverno e tem gente que saí de casa parecendo um iglu? Ou então, no calor tá com pouquíssima roupa e ainda não para de suar, parece até que tá no deserto? E porque isso acontece? Provavelmente porque ela não entende sobre fibras. Ela não sabe que algodão é no verão e lã no inverno e não o contrário.

Como está frio, vale investir mesmo na lã, que é fibra animal, e tem várias facetas que nesse inverno vale a pena usar todas elas.

Mas além da lã, que outra fibra pode ser usada nesse inverno? Bom, temos os queridinhos do momento, que apesar de sofrerem certo preconceito podem ser uma ótima alternativa. É o caso do poliéster e do acrílico, que são fibras mais baratas e “quentes”. Mas porque sofrem tanto preconceito? Como, por exemplo, o poliéster, porque ele é tão recriminado? O que diferencia um do outro? Bom, vou te explicar.

Existem dois grupos de fibras, a natural e Manufaturada. As naturais são as de origem vegetal, animal ou mineral e as manufaturadas são as sintéticas, artificiais ou celulósicas e as inorgânicas.

Ainda ficou complicado? Vou simplificar.

Quando se fala de fibras naturais: Linho (vegetal), lã (animal), amianto (mineral); quando se fala de manufaturadas: Poliéster (sintética), viscose (artificiais) e fibra de carbono (inorgânica).

 

 

2

 

 

 

Ah! Eu disse nomes que você conhece! Agora, se você pegar uma roupa aleatória no seu armário e olhar a etiqueta as chances de encontrar o nome: Poliéster são grandes. E porque isso acontece?

Simples, as fibras sintéticas foram feitas para que houvesse uma queda no valor e uma melhoria na qualidade. Não que as fibras naturais não sejam boas, muito pelo contrário, elas são, mas elas têm uma tolerância menor a tintura e uma resistência menor aos agentes químicos. Por exemplo, a cor neon, você jamais irá conseguir atingir esse tom em uma fibra cem por cento, natural.

O poliéster, que é o grande queridinho, principalmente das marcas populares, ele é a fibra mais barata, além de uma resistência de tração alta, não causa alergias, pode ser facilmente misturado com outras fibras, tem resistência à umidade e aos agentes químicos.

Espera! Você leu ali: FIBRA MAIS BARATA. Mais barata, então porque têm lugares que vendem roupas de poliéster, CEM POR CENTO, por valores tão absurdos? Porque o poliéster pode facilmente ser passado por outras fibras. Por ser quimicamente realizado, há uma liberdade de modificação maior, ou seja, tratando melhor ele pode ser passado por algodão, por seda, cetim, e por ai vai. Então agora você sabe, poliéster é feito de petróleo, que é a mesma matéria prima do plástico, então será que por plástico (grossamente falando) vale a pena gastar um valor alto? Vai de você, eu sinceramente não acho.

Mas, nesse inverno, para quem tem alergia a lã, e que se sente pinicado por ela, pode usar o poliéster, ou então o acrílico, que também é uma fibra sintética e essa é fácil vai, é só pensar; acrílico te remete ao que? A cadeira, copo de acrílico, que é o que? Plástico! Plástico é feito do que? Petróleo, ou seja? Quimicamente produzido! Viu? Pode parecer uma coisa grosseira, mas é com essas relações que você pode se encontrar.

Nesse frio, acrílico é a fibra certa para substituir a lã. Ela é quente, por ser um ótimo isolante térmico, muito resistente aos raios de sol e aos agentes químicos, mas é leve e tem um toque suave. E elas não são encontradas sozinhas não, pode ter uma mistura com as fibras naturais.

Elas se relacionam entre elas. As fibras naturais podem ser misturadas com as sintéticas, artificiais e inorgânicas!

Tá, eu expliquei porque as quimicamente realizadas são mais baratas, o que já te dá uma ideia do porque as naturais são mais “caras”, mas se você não teve essa ideia ainda, eu te explico.

– Mais barata não significa que não haja fibras naturais de baixo valor e sim no sentido de custo beneficio. Uma fibra natural tem muitas vezes uma elevada absorção de umidade, baixa resistência a micro-organismos, baixa estabilidade térmica e propriedades mecânicas inferiores das sintéticas. –

Vamos pegar nosso exemplo inicial para a explicação, a lã;

A lã é uma fibra obtida a partir do pelo de ovelhas ou camelos. Ela tem que ser tirada do animal, lavada, tratada, passar por todo um processo para torná-la em fio, mantendo a qualidade alta e ai então ela será, depois do fio, transformada nos tecidos que costurados formaram as saias, blusas, casacos, cachecóis, luvas e etc.

Sem contar que existem lãs de ovelhas mais “requintadas”, que são as espécies que para ser importada ou exportada é caro. Afinal, a ovelha não é um animal que pode viver sobre qualquer condição. Pensa uma ovelha viver em um lugar altamente tropical? Se você já não aguenta ficar com um casaco de lã com vinte e cinco graus imagina o bichinho. Então são todas essas condições que acabam dificultando e encarecendo a fibra e depois o tecido.
fibras

Créditos da imagem ao clicar.

 

 

Tá, falar sobre as fibras é fácil. Aqui você entendeu tudo, mas eu falei que uma fibra quando vira tecido pode facilmente se fingir de outra, então como eu vou saber? Só falando fica difícil, então que tal ir para a prática?

Na faculdade aprendemos a descobrir se é vegetal, animal ou sintética queimando. NÃO! Você não vai entrar na loja e sair queimando os tecidos, para isso existem as etiquetas de composição, mas vamos supor que você vai comprar um tecido para fazer seu vestido de formatura, você quer usar a seda pura de qualquer jeito. Entra na loja, pergunta para um funcionário para ver a seda, ele te traz o rolo. Você tocou, é leve, é brilhante é macio. Tá, mas até ai, eu te falei que o poliéster pode ser tudo isso, então o que você faz? Ou pede uma amostra do tecido, que ele pode dar ou não, ou você puxa discretamente um fio, vai ao banheiro ou a um canto que ninguém te veja e queima.

Hm…

– Tem cheiro de cabelo queimado, queimou devagar e ficou parecendo carvão? BINGO, você está mesmo com uma fibra animal em mãos.

– Cheirou plástico, queimou rápido pra caramba e ficou parecendo sacolinha de mercado derretida? FOGE! Ele te deu uma fibra sintética, provavelmente o poliéster.

– Mas não, ele cheirou papel, queimou mais ou menos, nem tão rápido, nem tão lento, e não sobrou nada pra contar história, ele tentou te vender fibra vegetal, ou seja, também não é seda.

Viu como é fácil? Falar de fibra é gostoso, principalmente porque você entende melhor o que você está vestindo e assim se veste melhor! Eu adoro falar sobre isso, então podem se preparar que eu vou voltar!

No próximo tá fazendo moda eu venho com uma palestra do Alexandre Herchcovitch que vai ter lá na faculdade, mas depois eu prometo voltar com os tecidos que vão ser adorados nesse inverno, tá?

Então me espera, que o tá fazendo moda só vai vir com coisa boa nas próximas semanas.

Um beijo e até a próxima!

 10250844_724377910947504_878365909_n

Quer conversar mais sobre o assunto? Me manda um e-mail: maa.desanti@hotmail.com