Tá fazendo moda: Volta às aulas

Não importa se você está no ensino fundamental, no médio, no técnico ou na faculdade. Nesse momento, o seu coração fica pequenininho já com saudades do que acabou há pouco. As férias.

É, minha amiga, porque felicidade de estudante dura pouco e como tudo nessa vida passa, as férias passaram e mesmo viajando, vendo série adoidada ou simplesmente dormindo sem parar, você acha que o tempo que passou não foi o suficiente. As aulas voltaram e algumas coisas básicas acontecem, tendo você dez ou vinte anos.

Aposto que você já fez todas as promessas para esse ano, não fez? Comprou agenda, lápis, borracha, estojo novo, uma bolsa nova, já organizou tudo, já prometeu que vai ser a melhor aluna da turma e já até treinou sua letra. Sim, porque depois das férias parece que você não sabe mais escrever, e todo o conteúdo do ano passado foi para o ralo. Se te perguntarem muito rápido quanto é um mais um você não sabe, mas com certeza tem a lembrança de que antes das férias saberia responder a tudo!

Se você é bichete (ou caloura), você está super ansiosa para saber como será o famoso trote. Posso dizer, como veterana que você irá sofrer, mas que amará tudo isso.

UFRJ3

Fonte: extra.globo.com

O trote é o melhor momento do primeiro ano, pelo menos na minha faculdade. Você tem que se entregar cem por cento, sabendo seus limites, mas também sabendo administrar seus limites como, por exemplo, não custa nada você beber um gole de pinga na fila de prenda. Você não bebe nunca, não gosta, tudo bem, mas é um gole! Não precisa ficar bêbada, nem precisa beber realmente, tá ai um truque que eu aprendi no meu trote. Vou ensinar agora!

trote-farol-sumare-g-20100208

Fonte: r7.com

Fecha a boca como se fosse dar um beijinho na garrafa, faz bico sabe? Coloca a boca na garrafa vira e engole sua saliva, só para o gogó que aparece ao erguer a cabeça dê ideia de que você bebeu. Quando virar a cabeça para soltar a garrafa, afasta um pouco só para a bebida cair em você e ficar tudo mais convincente! E BANG, você bebeu sem ter bebido e sem causar um revirar de olhos nos seus veteranos, que serão pessoas importantes para você durante o ano.

Outra coisa, nada de “não me toques”, roupa cara e bolsa pesada. Trote é dia de se libertar, aproveitar tudo, sair com muita meleca na cabeça, um cheiro que não vai sair do seu olfato pelos próximos dois meses e provavelmente sair sem um pedaço da camiseta.

Ah e outra coisa, sempre tem a bicha-mala, que é aquela pessoa que não quis participar do trote e acabou tendo que levar as bolsas de todo mundo – veteranas E bichetes – e coitada, a bicha-mala não precisa carregar cinco quilos da sua bolsa né? Pensem nos outros!

Eu estou falando do trote, porque pelo menos na minha faculdade, foi delicioso e acredito que foi o que fez os meus outros anos valerem a pena. Sim, porque depois disso é só trabalho, trabalho, atividade, entrega, cartela de cores, pânico da nota, uma semana de “descanso”, mais trabalhos, mais atividades, mais entregas, mais cartelas de cores e croquis, mais uma semana de ‘descanso’, desespero, trabalho atividade e assim vai até o final do ano quando você faz continha na calculadora rezando para que o sistema arredonde sua nota, que você não pegue exame ou então que pelo menos consiga ficar sem DP.

estudar-moda

E ai quando tudo acaba você fica nas férias com uma sensação de vazio porque não tem nenhum trabalho, nenhuma cartela de cores e pode dormir noites inteiras. E quando o vazio finalmente vai embora… As férias acabam.

Estou indo para o meu terceiro ano, e apesar de não ter tido férias completas, porque estou trabalhando, só de não ter o estresse da faculdade eu já me senti mais relaxada, mas acreditem eu fiquei inventando projetos para fazer durante as férias porque eu simplesmente não consigo mais ficar parada. É isso que uma faculdade de moda super puxada faz com você. Lembrando que aqui estou falando da minha faculdade, mas se você faz qualquer curso que seja puxado, você sabe o que eu estou falando.

Outra coisa da volta às aulas que sempre acontece: Conhecer os novos professores. Do primeiro ano para o segundo eu tive uma mudança grande de professores, mantendo apenas dois ou três do ano anterior, o que é pouquíssimo, já que eu tenho doze matérias. E esse ano mudaram novamente mantendo apenas dois, que para minha sorte são meus preferidos. Mesmo assim, já pesquisei sobre os outros e fui falar com minha amiga que é um ano à frente, sobre o que ela acha do professor, e hoje me arrependo.

Já sei que ele é chato, que a aula dele é chata e com isso já fiquei imaginando meus tédios dentro da sala, a dificuldade para fazer os trabalhos e todos os xingamentos que eu provavelmente farei nas noites que passar em claro fazendo algum trabalho chato que o professor chato da matéria chata passou.

campus_3844a

Não, e para fechar, tem aquelas frases! Aquelas benditas frases que todo mundo fala quando volta às aulas. Aquelas frases que se eu ganhasse um real para cada vez que elas fossem ditas, já teria conseguido pagar meus quatro anos de Xerox, o que é praticamente o valor do patrimônio do Eike Batista. Vamos a elas:

– Nossa, podia ter ficado em casa!

– Que é isso tio, esse salgado é de ouro?

– Gente, porque impressão tão cara?

– Tem uma folha pra me emprestar? Não sabia que já ia ter coisa para anotar.

– Não tem um cara novo que vale a pena!

– Ih, essas bichetes já estão todas assanhadas.

– Estou com medo do (nome do professor novo).

– Alguém sabe quando cai o próximo feriado?

– Ainda bem que tem o carnaval!

– Volta, férias!

 Tendo todas essas frases, todos esses ‘dramas’ e todos esses momentos novos, tanto para bichetes quanto para veteranas, a volta às aulas tem apenas uma coisa boa! Saber que pode demorar, mas vai acabar e as férias voltaram. E pra quem está na faculdade, aproveite, porque por enquanto tem sido exatamente como me disseram que seria: ‘a melhor fase da minha vida’.

 perfil marilia de santi - olho mágico