Uma conversa que pode mudar a vida de alguém.

Falar sobre auto estima e como isso afeta nossa qualidade de vida é um tabu. As pessoas associam autoestima a vaidade, e falar de problemas com a auto estima praticamente se torna algo fútil por causa dessa associação. Mas o problema é muito maior do que só “se sentir bonita.”

Algumas pessoas tem problema de auto estima, eu fui uma dessas pessoas (quem eu to querendo enganar, eu SOU uma dessas pessoas). Eu consegui depois de muita luta melhorar esse problema, e conseguir conviver muito melhor comigo.  Melhorei muito, percorri um caminho longo e dolorido, e as vezes tenho minhas recaídas e me deixo entrar em um espiral terrível de falta de apreciação por mim. Mas depois de tudo o que passei, eu consigo sair desse buraco, e voltar a me ver com bons olhos. baixa-auto-estima-2“Todo mundo é um gênio. Mas se você julgar um peixe pela sua habilidade de subir em árvores, ele irá passar a vida toda achando que é burro.” Albert Einstein

O problema é que nem todo mundo que tem problemas como esse consegue sair dessa situação de não se sentir confortável na própria pele. E conversando com duas pessoas maravilhosas que eu tive o prazer de conhecer essa semana eu percebi que precisamos falar sobre isso. E precisamos muito!Auto estima não é só se sentir bonita. É se sentir bonita, confiante, capaz, digna, merecedora de coisas boas.

Quando você tá com problemas de auto estima você se sente o oposto de tudo isso. Esse buraco que te suga quando você tá com a auto estima baixa, não faz só você não conseguir olhar no espelho sem cair no choro. Faz você questionar sua competência, não apreciar suas habilidades, se sentir indigna de qualquer coisa boa que te aconteça, não acreditar em nenhum elogio a nada do que você faça e se afastar das pessoas. E o pior, quando você tá nesse buraco, você esconde isso de todo mundo, por medo do que vão falar. E isso só piora.problemas-de-auto-estima-1

A falta de auto estima, pode levar a problemas muito mais sérios como depressão, distúrbios alimentares, compulsões e vícios. Por isso precisamos conversar sobre isso. Se temos o poder de ajudar pessoas que estão sofrendo com isso, precisamos ajudar. Quantas pessoas não poderiam sair desse lugar se você apenas conversasse com ela? Quantas pessoas deixariam de se suicidar se tivessem o apoio para aguentar até chegar em um lugar mais iluminado da própria vida? Essa conversa, por mais que não vá mudar a sua vida, pode mudar a vida de alguém que está nesse lugar.

Se você está com esse problema, converse com alguém de confiança, não tenha vergonha ou medo do julgamento. E se você já teve esse problema e melhorou – ou não tem esse problema – seja o ser de luz que ajuda quem está passando por essa barra.

Um beijo para vocês e até o próximo post!