Ciranda de Filmes, 08 a 12/06 em SP

abertura2

A Ciranda de Filmes, primeira mostra de cinema do Brasil com foco em infância e educação, oferece uma seleção de filmes nacionais e estrangeiros, de todos os formatos e gêneros, rodas de conversa, vivências lúdicas e oficinas com pensadores, educadores, artistas e cineastas, que irão inspirar e ajudar na reflexão e no aprendizado acerca dos temas propostos.

Da abertura ao encerramento, a mostra tem como proposta trazer filmes e experiências capazes de sensibilizar e fortalecer caminhos e utopias, ampliando a percepção de que não estamos sozinhos; que pelos quatro cantos do mundo, pessoas “cirandeiam” juntas, tecendo sonhos e histórias ricas em sentido, aprendizados e beleza.

abertura

Com o tema “Mestres, referências para um tempo de incertezas”, a Ciranda de Filmes realiza a sua 3ª edição no período de 9 a 12 de junho de 2016, no Espaço Itaú de Cinema Augusta e no CineSesc, em São Paulo.

Na primeira de quinzena de junho, em duas salas de cinema da capital paulista (Espaço Itaú de Cinema Augusta e Cinesesc), uma intensa programação reunirá exibição de filmes (mais de 40, entre longas e curtas-metragens, documentário e ficção), oficinas (“Crítica Cinematográfica” e “Imaginário da Infância”), rodas de conversa (“Mediador de Mundos”, “Mestre do Intangível”, “Maestria do Chão”), vivências, que se estenderão pelos intervalos e promoverão atividades em argila (“A Mesa-Lousa”, “Histórias do Barro”, “Ateliê Aberto” e “Instalação Coletiva”) e sessões seguidas de debates.

debate

A Ciranda nasceu em 2014, como a primeira Mostra de Cinema focada em educação e infância do Brasil. Correalizada pelo Instituto Alana, Circuito Cinearte e Aiuê Produtora de Conteúdo, com patrocínio do Instituto Alana e Instituto Península, a primeira edição da mostra foi realizada durante três dias em São Paulo e contou com a exibição de filmes e rodas de conversa divididos em três eixos: nascimento e infância, espaços de aprendizagem e movimentos de transformação.

Vivência-corporal

A segunda edição da Ciranda em 2015 contou com o patrocínio do Instituto Península e do Instituto Alana e apoio do Instituto Natura, Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, Prefeitura de São Paulo, Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer e Itaú Cultural. A mostra além de exibir gratuitamente produções cinematográficas promoveu rodas de conversa, vivências lúdicas e oficinas cinematográficas. Toda a programação tem três temas como fio condutor: famílias, relação criança e natureza e protagonismo infantil.

Vivência-lúdica

Entre os nomes que estarão em São Paulo especialmente para integrar essa terceira edição da mostra, está José Pacheco (professor e educador português cujo nome está fortemente associado à sua criação, a Escola da Ponte, fundada em 1976). Ao lado dele estarão também o líder indígena e escritor Ailton Krenak, além de profissionais, como Beatriz Goulart, arquiteta e especialista em projetos que integram cada vez mais as escolas e outros espaços de educação. Mônica Passarinho, bióloga, permacultora e educadora para sustentabilidade está atualmente à frente do Instituto Toca – e também integra o time de convidados. E o evento é gratuito!

 

Fotos: Aline Arruda

Idealização, produção e curadoria: Fernanda Heinz Figueiredo e Patrícia Durães, a Ciranda

 

PROGRAMAÇÃO

FILMES:

 

A Caverna dos Sonhos Esquecidos (dir.: Werner Herzog / França, Canadá, Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha)

Na Ponta dos Pés / A Pas de Loup (dir.: Olivier Ringer / Bélgica e França)

Alamar (dir.: Pedro González-Rubio / México)

Todo o Tempo no Mundo / All the Time in the World (dir.: Suzanne Crocker / Canadá)

ApartHorta (dir.: Cecilia Engels / Brasil)

(dir.: Leandro Tadashi / Brasil)

Balão Branco (dir.: Jafar Panahi / Irã)

Behind the Face (dir.: Marcin Sauter)

Bounce, How the Ball Taught the World to Play (dir.: Jerome Theliá)

Brasil Orgânico (dir.: Kátia Klock e Lídia Brancher / Brasil)

Brincante (dir.: Walter Carvalho / Brasil)

Casa dos Insetos (dir.: Fernanda Heinz Figueiredo / Brasil)

Do Pó da Terra (dir.: Maurício Nahas / Brasil)

Encantadora de Baleias (Dir. Niki Caro)

Forest Man (dir.: William D. McMaster)

A Menina e a Gôndola / La Ragazza e la Gondola (dir.: Abbe Robinson / Reino Unido e Itália)

Linéia no Jardim de Monet (dir.: Lena Anderson e Christina Bjork)

Meninos e Reis (dir.: Gabriela Romeu / Brasil)

Naiá e a Lua (dir.: Leandro Tadashi / Brasil)

Nana (dir.: Valérie Massadian)

O Homem que Plantava Árvores (dir.: Jean Giono / Canadá)

O Melhor Som do Mundo (dir.: Pedro Paulo de Andrade)

Pina 3D (dir.: Wim Wenders)

Salu e o Cavalo Marinho (dir.: Cecília da Fonte)

Sonhos em Movimento (dir.: Anne Linsel e Rainer Hoffmann)

Tashi and the Monk (dir.: Johnny Burke e Andrew Hinton)

The Land (dir.: Erin Davis)

Era Uma Vez / Tjamparanjani (dir.: Miko Meloni)

Tudo que Aprendemos Juntos (dir.: Sérgio Machado / Brasil)

Um quê de Quilo (dir.: Janaína Welle)

 

OFICINAS:

  • necessária inscrição prévia

  • no momento do preenchimento do formulário será pedido o currículo atualizado e um texto específico para cada um dos candidatos (informações mais detalhadas estarão disponíveis no site)

 

OFICINA DE CRÍTICA CINEMATOGRÁFICA

com Sergio Rizzo

5 manhãs, entre os dias 03 e 09 de junho, no anexo do Espaço Itaú de Cinema Augusta (sala de cursos)

  • inscrição até 25 de maio pelo email [email protected]

  • os interessados devem enviar CV resumido (até 10 linhas) e um texto argumentando em que medida a oficina poderá contribuir para o desenvolvimento de suas atividades de formação, pesquisa ou profissionais

  • até 25 participantes

Objetivos: Discutir e exercitar os fundamentos, critérios e procedimentos da crítica cinematográfica. Na oficina serão apresentados textos analíticos que adotem como objeto a produção audiovisual relacionada à infância e à educação. Por meio dos filmes que integram a programação da Ciranda 2016, a oficina envolve exercícios de leitura e elaboração de crítica.

 

OFICINA IMAGENÁRIO DA INFÂNCIA

com Gabriela Romeu e Adriana Costa

10 de junho, sexta-feira, das 9h às 12h30, no anexo do Espaço Itaú de Cinema Augusta (sala de cursos)

  • inscrição através do email [email protected]

  • os interessados devem enviar CV e um texto que trate de dois ou três filmes sobre infância relevantes ou inspiradores

  • até 32 participantes

Quais concepções de infância foram cunhadas no cinema ao longo dos anos? O que os filmes e seus enredos nos revelam a partir das sagas que trazem pequenos protagonistas? Se há tempos o cinema olha a infância, o que ele nos ensina ao mirar distintas infâncias, em diferentes contextos históricos, culturais, políticos e sociais? Segundo o crítico André Bazin, o cinema é a arte apropriada para revelar a “face enigmática da infância”. Imagenário da Infância é justamente um convite a adentrar o universo de filmes que retrataram o período, a criança e a perspectiva infantil. Realizado no formato oficina, envolve dinâmicas de grupo, rodas de conversa e análise de filmes que têm a infância e suas imagens como foco.

 

RODAS DE CONVERSA

MEDIADOR DE MUNDOS

com Ailton Krenak, José Pacheco, Lira Marques e mediação de Fernanda Heinz Figueiredo

dia 09 de junho, às 16h, no Cinesesc

Esta roda de conversa inaugura um potente encontro sobre e entre mestres, que ganham contornos diversos nas figuras de lideranças comunitárias, guardiões de tradições passadas de gerações em gerações e educadores das práticas democráticas.

São muitos os mestres que inspiram e iluminam a longa jornada de aprendizado que é a vida. Há mestres que ensinam a se espantar e a se encantar com o universo, mestres versados nos muitos fazeres tradicionais e comunitários, mestres cujos pensares criam novas perspectivas na construção de sentidos. Há mestres de sabenças ancestrais, como os avós, e mestres de saberes ligados ao embrião da humanidade, as crianças. Mestres que são guias, condutores de caminhos, verdadeiros mateiros que abrem estradas vicinais no interior do ser.

 

MESTRE DO INTANGÍVEL

com Claudio Feijó, Georgia Lengos, Teca Alencar de Brito, mediação de Gabriela Romeu

dia 10 de junho, às16h no Cinesesc

Tocar o intangível, elaborar o absurdo ou impensável, subverter a lógica, perceber e decodificar o mundo (in)visível. São muitas as linguagens – o teatro, a literatura, as artes plásticas, o brincar… – que se traduzem em genuínas formas de manifestação de mundos, no mundo, meios vigorosos para a elaboração de sentimentos e ideias. Sim, a arte é também nosso guia. Em suas muitas manifestações, a arte se abre em livres trânsitos de criação, é pura expressão do sensível e das subjetividades, desestabilizadora de certezas, enaltecedora de singularidades e de caminhos diversos, transversos. O que a arte nos ensina? Como ela nos inspira? Em que lugar coloca o espectador? Para levar a maestria da arte para o centro do debate, discutindo seu papel transformador, entram nesta roda artistas-educadores da música, da dança e das artes visuais.

 

MAESTRIA DO CHÃO

com Beatriz Goulart, Grupo Contrafilé, Mônica Passarinho, mediação de Vanessa Fort

dia 11 de junho, às 16h, no Cinesesc

Espaço, lugar ou pedaço de chão: território de construção do humano, onde se nasce, engatinha, cresce, brinca e aprende. Apreende o mundo. No dizer de Paulo Freire, há uma “pedagogicidade indiscutível na materialidade do espaço”, seja a natureza, mestre primordial dos povos, chão da infância, seja o meio urbano, cada vez mais ressignificado. Desde os anos 90 do último século, discute-se que diversos espaços – cidade, bairro e comunidade – funcionam como territórios educativos, de elaborações e trocas coletivas. Para abrir um diálogo e pensar sobre como nos formamos nessas geografias, em lugares que nos ensinam, formam e inspiram, convocamos para a roda um coletivo que pesquisa a cidade em sua força transformadora, uma bióloga que atua como educadora para a sustentabilidade e uma arquiteta que pensa novas propostas para o espaço escolar.

 

SESSÕES ESPECIAIS SEGUIDAS DE BATE PAPO COM CONVIDADOS

 

mote A NATUREZA COMO MESTRE

Filme (em definição) seguido de bate-papo com Gandhy Piorski

mote MESTRES DA CULTURA POPULAR

Filme: Brincante (dir.: Walter Carvalho / Brasil)

Papo com Antonio Nóbrega

Filme: Do Pó da Terra (dir.: Mauricio Nahas / Brasil)

Papo com equipe e personagem, Lira Marques

 

 

VIVÊNCIAS

 

A MESA-LOUSA

com o grupo Contrafilé, no Espaço Itaú de Cinema Augusta

Se uma lousa é colocada na parede, em sentido vertical, em um lugar no qual apenas alguns têm acesso, ela tem uma função determinada: vai produzir um tipo de relação com o conhecimento e com os outros. O quadro negro é, em si, um espaço de poder que comunica. Quando a lousa é deslocada para o sentido horizontal, o que pode acontecer? Que espaço é este que se cria a partir daí? O Grupo Contrafilé propõe a realização de uma conversa sobre Mestres em volta de uma Mesa-Lousa. Serão convidados para esta vivência TC Silva – liderança quilombola contemporânea – e alunos das Escolas de Luta, além de qualquer pessoa interessada.

 

HISTÓRIAS DO BARRO / BARRO DA PALAVRA

com Sirlene Giannotti, no anexo do Espaço Itaú de Cinema Augusta

  • recomenda-se roupas confortáveis

  • distribuição de ingressos uma hora antes do início

Essa vivência propõe aos participantes a descoberta do que as histórias de tradição oral e a modelagem em argila têm em comum: a força da ancestralidade criativa. Dando forma ao barro, ouvindo e contando histórias, intensificamos o viver e o nosso potencial criativo.

A partir de propostas lúdicas que envolvem o corpo, a palavra, a imaginação e a criação, iremos explorar narrativas sublimes de contos e brincadeiras e da ludicidade expressiva da tradição do barro brasileira.

 

ATELIÊ ABERTO: QUAL É A SUA IMPRESSÃO?

Com Sirlene Giannotti e assistentes

De 09 a 11 de junho, durante os intervalos e espera das sessões, no Espaço Itaú de Cinema Augusta

  • aberta ao público interessado conforme a disponibilidade de espaço

Os participantes serão convidados a experimentar uma relação com a argila em estado de absoluta hidratação: a barbotina. Com ela não estruturamos formas. Mas podemos desenhar enquanto gozamos a delícia do mergulho das nossas mãos na lama. A proposta é finalizada com a montagem de varais com os painéis dos desenhos criados pelos participantes, construindo no evento um ambiente como das pinturas rupestres nas cavernas.

 

INTERVENÇÕES / INSTALAÇÃO COLETIVA: MEMÓRIAS DA INFÂNCIA

08 a 11 de junho, nas salas de cinema que recebem a Ciranda de Filmes

  • aberta aos presentes interessados

Propõe-se, nessa atividade, a construção de um relicário de memórias infantis com a modelagem de pequenas peças configuradas a partir da recuperação de lembranças… Proposta que se realiza dentro das salas de cinema e que se instala no hall de entrada.

 

SERVIÇO

De 09 a 12 de junho, em São Paulo

Espaço Itaú de Cinema Augusta

Rua Augusta, 1475 / tel.: 3288.6780 (salas 1 e 3) e 4564.7503 (anexo e sala de cursos)

www.itaucinemas.com.br

Cinesesc

Rua Augusta, 2075 / tel.: 3087.0500

www.sescsp.org.br