Negócios e profissionalização da música serão discutidos na Conferência do Festival CoMA

Intuito é fortalecer mercado fonográfico com troca de conhecimentos, além de abrir oportunidades de negócios entre músicos e demais profissionais do setor

Muito mais do que arte, o Festival CoMA é uma oportunidade para que a música seja tratada também sob como negócio. Além do festival com mais de 50 atrações, o evento abrange a Conferência, em parceria com o Sebrae-DF, que deve reunir músicos, compositores, empresários, produtores culturais entre outros profissionais ligados ao mercado musical. Serão diversas atividades como debates, showcases, apresentações de piches, oficinas, mentorias e rodas de conversas realizadas dias 1º e 2 de agosto, das 10 às 19h, no Centro de Convenções Brasil 21.

A Convenção é um espaço para tratar da profissionalização da arte, envolvendo não só os artistas, mas toda a cadeia envolvida no processo de produção, financiamento e divulgação da música. É o espaço do empreendedorismo, de discutir com profundidade o mercado para fortalecê-lo, principalmente em um momento de transformação da comunicação e da forma como a música é “consumida”. No ano passado, o mercado fonográfico brasileiro cresceu acima da média, segundo levantamento da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, na sigla em inglês) e a Pro-Música. Aqui, a alta registrada foi de 15,4%, enquanto a média mundial foi de 9,7%.

E para acompanhar esta boa fase do setor, pautas importantes estarão em voga na Conferência do CoMA. A programação contempla pontos fundamentais para quem já está no mercado, mas quer aprimorar seus conhecimentos, assim como assuntos importantes para quem quer desbravar este universo. De forma muito democrática, o evento abriu inclusive processo de seleção para novas ideias serem expostas em seus palcos, seja em formato de pitches de negócios como em showcases.

Vale destacar por exemplo a roda de conversa sobre direitos autorais ou mesmo a que trará de estratégias de lançamento em marketing digital. Artistas independentes podem desfrutar de uma roda focada em quem trilhar este nicho. Os festivais também ganham espaço para debates, inclusive uma que destrincha o badaladíssimo Burning Man. Enfim, os assuntos são os mais variados possíveis.

Para aqueles que desejam participar, os ingressos estão a venda no site do Festival com investimento R$ 80 para os 2 dias de evento.

Programação

1º de agosto

10h – Conversa: ALÉM DA MÚSICA: A ERA DAS EXPERIÊNCIAS INVADE OS FESTIVAIS

Quem fala: Franklin Costa e Carol Soares

10h – Workshop: MARKETING DIGITAL: COMO CONSTRUIR UMA ESTRATÉGIA DE LANÇAMENTO

Quem fala: Marina Amano – Listo Music

15h – Conversa: SIMPLIFICANDO O DIREITO AUTORAL – O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA PROTEGER OS SEUS DIREITOS E GERAR RECEIRA

Quem fala: Guta Braga

17h – Conversa: “IT’S NOT A FESTIVAL” UMA HISTÓRIA SOBRE O BURNING MAN

Quem fala: Daniel Strickland

18h30 – Conversa: ANELIS ASSUMPÇÃO E CONSUELO: CARREIRA, CRIAÇÃO E FEITIÇARIA

Quem fala: Anelis Assumpção E Consuelo

2 de agosto

10 h – Conversa: DIY – DRIVE IT YOURSELF – OS DESAFIOS DO ARTISTA INDEPENDENTE NO MERCADO DE MÚSICA DIGITAL

Quem fala: Marcos Chomen

11h – Conversa: ANALYTICS: DADOS PARA CONSTRUIR UM FUTURO NA MÚSICA

Quem fala: Luisa Martins (T4F), Dani Ribas (DATASIM) e Karla Megda (SYMPLA)

15h – Conversa: CONTEÚDO NA ERA DA PÓS-CURTIDA

Quem fala: Carol Navarro, Ekena e Mariana Stabile

15h – Workshop: SAIBA TUDO SOBRE A EXPORTAÇÃO DE MÚSICA

Quem fala: Mário di Poi, André Bourgeois e Leandro Ribeiro da Silva

17h – Conversa: TRANSFORME ESTRANHOS EM FÃS – MARKETING EM TEMPOS DE DISRUPÇÃO 

Quem fala: Clemente Magalhães

19h – Conversa: BANDA TUYO

Quem fala: Tony Aiex – TMQDA

Bandas que farão Showcases:

Alienpovo (SP), Black Pantera (MG), CaetÉ Raiz (BA), Esquina (DF), Kilotones (SP), O Tarot (DF), Pata de Elefante (RS), Raissa Fayet (PR), Saci Wèrè (DF), SandroX (DF), Sate (CANADÁ), Thalles (SP), Tiju (DF), TRISS (CORÉIA DO SUL)

Apresentação de pitches:

A Engrenagem; Aiure; Amelie; Babi Jaques e Lasserre; Baghdá; Bella Schneider; Binarious; Duo Alvenaria; Enação; Fluhe; Lila May; Little Room; OPS; Passo Largo; Patubatê; Pedro Vaz; Rhaissa Bittar; Rodrigo Bezerra; Stolen Byrds; Supervibe; Terceiro Mundo Bom; Transquarto; Vavá Afiouni; VINAA; ZK e amigos eternos.

O CoMA

Em suas primeiras edições, o CoMA tem marcado o mês de agosto como um dos maiores festivais de música no Centro-Oeste, voltando os olhos do país para o cenário artístico da capital federal. Em 2017, foram 14 mil pessoas vibrando numa só sintonia, número que chegou a 16 mil no ano seguinte.

Conferência do Festival CoMA

Data: 1 e 2 de agosto

Local: Centro de Convenções Brasil 21

Horário: 10 às 19h

Ingressos e informações: www.festivalcoma.com.br