O que você tem no armário?

Já parou para pensar sobre as roupas que habitam seu armário e sobre o valor que elas tem pra você.

Primeiro, você acredita que um armário lotado significa opções inteligentes de roupas dentro dele?

Vocês acreditam mesmo que ter muitas peças significa que elas façam sentido na sua realidade?

Segundo, você conhece suas roupas?

Você sabe o que tem dentro do seu closet? Costuma coordenar sempre as mesmas ou gosta de pensar no armário como algo mais amplo e menos engessado, com peças que funcionam entre si?

Antes de seguir para a próxima pergunta, que tal parar um pouco e tentar entender o que tem no seu armário?

Que tal parar para pensar nas coisas que você tem: elas fazem sentido para você? Elas servem? Você gosta delas?

Acredito que antes de qualquer compra, é preciso conhecer o que temos aqui dentro, saber quantas peças usamos e quantas deixamos de usar. AS meninas do Slow Fashion Season desenvolveram um método para calcular o IMC – Índice de Massa do seu Closet, ou o IMC do armário.

A ideia é basicamente a mesma do método utilizado para calcular o IMC do seu corpitcho.

Conhecer o índice de massa do seu armário te ajuda a entender de uma vez por toda os seus hábitos de consumo, e o que você veste e não.

Vamos montar o IMC do nosso armário?

  1. Quantas peças de roupa você possui no total.
  2. Quantas peças de roupa foram compradas novas?
  3. Quantas são de brechó?
  4. Quantas peças você comprou e ainda nem usou?

Depois disso, vamos organizar uma plaquinha com esses números, para ter uma ideia melhor da sua realidade.

Acho bem importante separar uma categoria para roupas compradas novas mas que continuam em uso após cinco anos (essas compras são compras que obviamente fazem sentido.

Lembre-se de tirar uma foto sua com esses números (faça a sua plaquinha) e poste usando a hashtag #SLOWFASHIONSEASON e #CLOSETMASSINDEX

Slow Fashion Season

Eu acredito muito que campanhas como a Slow Fashion Season, que teve início em junho desse ano, contando com 14, 487 participantes não é, como muitos dizem, um boicote ao comércio, ou uma tentativa de acabar com as marcas, muito pelo contrário, quando conhecemos nossas necessidades, conseguimos comprar de forma consciente dando preferência para produtos que tenham sido pensados e que façam sentido em nossas vidas.

A ideia da Slow Fashion Season é simplesmente convocar seus participantes a não comprarem nenhuma roupa NOVA – vale comprar roupas em brechós, compartilhar com as amigas, trocar, etc. Só não pode comprar roupa nova.

A ação começou dia 21 de Junho e vai até o dia 21 de Setembro de 2019. Tem um post meu aqui explicando melhor a campanha.

As pessoas acabam equivocadamente acreditando que ao comprar um ou outro item se sentirão melhor do que antes ou esquecerão de algum problema. Usar compras como ansiolítico não funciona, inclusive, ir ao shopping em momentos de crise resulta em compras inúteis.

Para comprar bem é preciso se conhecer, conhecer o seu armário. A gente tem que testar as combinações que já temos, para conseguir sentir falta do que realmente faz sentido pra gente.

Não adianta sair correndo em crise e achar que vai sair dela no meio das compras, vai só piorar.

Seu dinheiro e tempo terão sido gastos em peças inúteis que não farão o menor sentido ao chegar em casa. Se vestir bem é uma questão de autoconhecimento, é preciso aprender o que você gosta, o que te deixa feliz usando.

Mais do que roupas, o ato de se vestir é algo ligado ao seu estilo pessoal, às suas preferências, ao seu estilo de vida, a vida que você leva.

Não adianta ter um armário lotado de salto se você usa salto no máximo uma vez por semana,ou uma no mês. Precisamos entender como gastamos o nosso tempo, e como curtimos o nosso tempo livre, nossos hobbies para conseguir comprar peças que passarão a fazer parte do nosso repertório pessoal.

Vamos falar sobre esse assunto semanalmente aqui no blog, mas tem muitos textos na minha coluna do Blog Tia Du para quem quiser ler mais sobre o assunto.

Fotos_ imagens dos posts minha coluna para o Blog Tia Du