Pense, logo exista.

Já parou para pensar na quantidade de roupas que você compra e joga fora simplesmente porque depois de alguns dias elas simplesmente não fazem mais sentido na sua vida?

Esse post não é sobre ter, é sobre pensar em você.

E sim, sobre mudar o ponto central da sua vida para você mesma. Aprender a dar ouvidos às suas necessidades, pensar sobre a sua vida, sobre o que você gosta.

Referências externas são semre bem vindas, mas precisamos entender como vivemos.

Primeiro: ninguém é igual a ninguém.

Muitas peças que não fazem sentido para você, podem fazer para outra pessoa. Um escarpin faz sentido na sua vida? Pode não fazer na minha, mas está tudo bem. Eu prefiro plataformas e sou feliz assim.

Segundo: invista em peças que te dão prazer.

Passamos tanto tempo ganhando dinheiro para investir em roupas e acessórios… então que sejam peças peças incríveis! Dê preferência para peças feitas com material de boa qualidade e por pessoas que além de tempo, invistam amor na produção.

Vamos começar pensar em nosso poder como consumidoras; podemos escolher para onde vai o nosso suado dinheirinho.

Podemos mudar o mundo da moda, pelo menos o mundo que nos cerca.

Terceiro: compre de pessoas.

Apesar de tudo e de todas as tragédias e de toda essa situação que o mundo e o nosso país estão passando, sempre existem marcas resistindo, pessoas trabalhando por amor, criando peças incríveis que ficam mais que feliz em ver suas criações com alguém e que dependem desse dinheiro para viver: comprando de quem produz você ajuda a sua comunidade.

Claro que o dinheiro é seu e você compra de quem quiser, mas comece a mudar o seu caminho e conhecer o trabalho das pessoas da sua cidade, das tantas mulheres que estão produzindo coisas incríveis com as próprias mãos não muito longe de você.

Quarto: liberte-se de padrões pre-definidos

Não adianta ficar por aí presa a desfiles, ou ao que as suas amigas usam, Cada um é unico, e cada um tem um estilo próprio.

Passamos a vida inteira fugindo do fato de que somos únicos, mas a verdade é que não tem como ignorar o óbvio: somos imperfeitamente perfeitas, do nosso jeito.

A mesma peça de roupa poderá ser usada por 5 pessoas, e eu garanto que será interpretada de maneiras diferentes.

Por fim, mas não menos importante: invista no que te faz feliz!

Indiferente do que digam, a vida é sua, o dinheiro é seu.

O tempo é seu, e apenas você pode APENAS dar o valor que ele merece.

Só não esqueça que a idéia é que as roupas te ajudem a comunicar quem você é, sua personalidade. O importante é comunicar, e não comprar.

Precisamos parar de dar tanta importância para o ato de consumir, para o comprar, para as marcas, precisamos pensar no que gostamos e como nossas escolhas influenciam o mundo.

Comprar é um processo que não pode começar e acabar no caixa da loja: apenas entendendo suas necessidades e se conhecendo você consegue comprar de maneira consciente e parar de jogar seu dinheiro fora.

Encontrar seu propósito, se conhecer, entender seus gostos e preferências, as pessoas que te deixam felizes e o que realmente te satisfaz. Uma bolsa pode até deixar uma mulher mais estilosa, mas não traz felicidade.