Resenha: Juntos para sempre

Quer um filme light, estilo sessão da tarde, mas que acalente o coração? Assista Juntos para sempre. A continuação de As quatro vidas de um cachorro traz quatro vidas de Bailey, um cão que pertenceu a Ethan (Dennis Quaid), porém que recebe um novo propósito: proteger sua neta, CJ (Kathryn Prescott). A partir de então, em todas as suas vidas, quando reencarna em raças totalmente diferentes, seu objetivo nunca muda: encontrar e proteger a garota.

Baseado no best seller de W. Bruce Cameron de mesmo título, apesar de ter um tema um tanto quando dramático, o filme tem suas partes cômicas que foram muito bem trabalhadas. Afinal quem consegue se segurar assistindo filme de cachorro?

Toda a película é narrada pela perspectiva de Bailey através de áudios em off, por isso entendemos as iniciativas de suas ações que contrapõem ao resultado delas. Uma brincadeira entre a lógica do cão e de como os humanos a interpretam, de uma forma suave e cômica.

Quem já teve cachorro, com certeza vai se emocionar. Um filme light, mas cheio de sentimento que aborda como um bichinho faz tanta diferença em nossa vida e que faz de tudo para o nosso melhor. O cão escolhe o dono, não importa quanto tempo leve ou quantas vidas tenha, ele estará ali. Ele passa por situações de perigo, a une a pessoas amadas, ajudando-as inclusive.

Juntos para sempre ganha pela simplicidade, bem mamão com açúcar, que leva a narrativa de forma leve e descontraída. Segue vários clichês de filmes do gênero, mas não decepciona.