Virginia Barros: descobertas sobre o corpo e a sexualidade feminina através de sapatos

Em cartaz no Rio de Janeiro até 16/02, no Foyer do Teatro Firjan, a instalação O que nós, mulheres, queremos? assinada pela sapateira Virginia Barros leva ao público descobertas sobre o corpo e a sexualidade feminina através de um acessório indispensável: os sapatos!

Virgínia Barros é gaúcha, criada em Minas Gerais. Formada em jornalismo, cursou estilismo na UFMG, onde mais tarde foi professora de desenho e história do calçado. Virgínia se identifica com a nomenclatura sapateira.

A criação e a execução do calçado são o foco do seu trabalho, embora desenhe roupas e faça figurinos. Fátima Bernardes, Fernanda Takai, Erika Januza, Katiuscia kanoro, Elba Ramalho, Lilia Cabral, Débora Lamm, Heloísa Perissè, Maria Clara Gueiros, Bárbara Colen, Leilaine Neubarth e Paulinho Moska já usaram figurinos da designer.  

“O principal objetivo desta instalação é mostrar o olhar de uma mulher, numa história que sempre foi feita por homens, onde uma mulher, que é sapateira, vai tentar mostrar o que é o desejo, a sexualidade feminina, fora desse patriarcado, desse padrão, que é o fetiche em relação ao escarpim, por exemplo, aqui o que vale é o ponto de vista feminino”, diz Virginia Barros.

“Na história do calçado os homens são os protagonistas da criação, salvo raras exceções. São homens fazendo sapatos para agradar homens. O escarpim de salto fino resiste 70 anos sem nunca ter deixado de ser produzido. Entra moda, sai moda, ele está no mercado. Será o motivo o fato de ser símbolo do fetiche masculino? Pensando além do patriarcado, o que nós, mulheres, queremos?”, questiona Vírginia.

“Quando o lugar de fala é de uma mulher, uma sapateira, começamos a pensar no que é sexy para nós. Muitas de nós não conhecem seu próprio corpo. Estes sapatos são sensoriais, instigam a explorar o tato. São calçados que misturam texturas de rendas, pelúcias, veludos, camurças. Trazem formas femininas que aparecem, desde o salto e a cepa de madeira, até a parte superior do calçado. Um convite para que nós, mulheres, tenhamos consciência do nosso corpo, dos nossos desejos”, explica a designer sobre as obras e sensações que o público poderá sentir.

Instalação Virginia Barros – O que nós mulheres queremos?

Foyer, Teatro Firjan, Sesi Centro

Av. Graça Aranha, 1 – Centro, Rio de Janeiro – RJ

Até 16/02, grátis.

Quinta a sábado, das 10h às 19h, domingo das 11h às 18h. 

Gratuito. Livre.